Hospital Lifecenter | Blog
Serviços Hospitalares
  • Consultas e exames
  • Pronto Atendimento
  • Cirurgias e Procedimentos
  • Diagnóstico e tratamento de lesões intra cranianas
  • Embolização de tumores benignos e malignos e mal formações vasculares
  • Laboratório de Hemodinâmica
  • Terapia Intensiva
  • Internação Hospitalar
  • Especialidades Médicas
  • Anestesiologia
  • Arritmologia cardíaca
  • Cardiologia clinica
  • Cardiologia Intervencionista
  • Cirurgia bariátrica
  • Cirurgia buco-maxilo-facial
  • Cirurgia cardiovascular
  • Cirurgia coloproctologica
  • Cirurgia de cabeça e pescoço
  • Cirurgia de coluna
  • Cirurgia de joelho
  • Cirurgia de mão
  • Cirurgia de quadril
  • Cirurgia endovascular
  • Cirurgia geral e digestiva
  • Cirurgia ginecológica
  • Cirurgia hepato-bileo-pancreatica
  • Cirurgia otorrinolaringológica
  • Cirurgia plástica estética e reparadora
  • Cirurgia torácica
  • Cirurgia urológica
  • Cirurgia vascular
  • Clínica médica
  • Coloproctologia
  • Dermatologia
  • Eletrofisiologia cardíaca
  • Endocrinologia
  • Gastroenterologia e Nutrologia
  • Ginecologia
  • Hematologia
  • Hemodinâmica
  • Hepatologia
  • Infectologia
  • Medicina de urgência
  • Medicina Interna
  • Nefrologia
  • Neurocirurgia
  • Neurologia
  • Neurorradiologia
  • Oncologia
  • Ortopedia e traumatologia
  • Ortopedia Oncológica
  • Otorrinolaringologia
  • Reumatologia
  • Terapia intensiva de adultos
  • Urologia
  • Especialidades Multiprofissionais
  • Enfermagem
  • Fisioterapia
  • Fonoaudiologia
  • Nutrição e dietética
  • Psicologia Clínica Hospitalar
  • Blog

    Apendicite: sintomas e riscos de se procurar tardiamente o pronto atendimento


    Postado em 25/08/2020


    A apendicite aguda é uma das principais causas de dor abdominal em Pronto Atendimento. Cerca de 7% da população mundial já teve apendicite aguda, que é a principal causa de abdômen agudo cirúrgico no mundo.

    Pacientes de oito a 80 anos de idade que já tiveram os sintomas clássicos relatam queixas variadas. Quando examinados por um médico especializado, descobrem, por exemplo, que esse pedaço do intestino grosso (apêndice) ficou inflamado. Essa inflamação pode se dar em vários graus e sempre exige tratamento cirúrgico. Mas, os sintomas são bem variáveis.

    >>Atenção: em mulheres, essa dor pode ser provocada por inflamação das tubas uterinas, útero ou ovário também. Exames de imagem podem auxiliar a estabelecer o diagnóstico, segundo informações do Ministério da Saúde.

    Em todos os casos, é importante procurar ajuda e tratamento médico. No Hospital Lifecenter a equipe médica trabalha em constante integração, buscando o melhor atendimento para evitar complicações no quadro de apendicite.

    O que é apendicite


    É uma inflamação dolorosa no apêndice - uma bolsinha localizada no lado direito do intestino grosso. O problema ocorre quando algum corpo estranho - porções de fezes, um parasita ou semente de fruta - o obstrui. Dessa forma, se cria a inflamação, em outras palavras, o edema na ponta do apêndice. A secreção ali contida favorece a proliferação de bactérias e o quadro pode se complicar.

    “O apêndice incha e acontece uma congestão, uma isquemia e ele inflama. Se o órgão não é operado neste momento em tempo hábil, ele vai inchando cada vez mais e há uma invasão bacteriana, podendo perfurar”, afirma Terezinha Valéria Ferreira Matoso, cirurgiã-geral do Hospital Lifecenter.

    Sintomas da apendicite


    Em um quadro clássico da doença, que é 50% a 60% dos casos atendidos no hospital, os sintomas iniciais são leves. “Começa com uma dor de estômago, que sempre confunde os pacientes, quatro a doze horas depois o paciente tem náusea, perda de apetite, febre baixa. E só de 12h a 14h depois essa dor vai se manifestar forte na altura do umbigo e à direita em baixo na barriga. Esse é um quadro típico”, detalha Terezinha Valéria Matoso.

     Até onde se sabe nos trabalhos científicos, não há uma causa genética para a apendicite. Por outro lado, ela pode acontecer em qualquer momento da vida e não tem predisposição de outras doenças. Uma pessoa saudável pode vir a ter o problema em qualquer momento de sua vida.

    Para o médico Perez de Almeida Aguiar, cirurgião geral do Hospital Lifecenter, é importante pontuar a natureza da dor. “É uma dor pontual, contínua e localizada. Começa fraca, porém, vai aumentando sua intensidade”, diz.

    Além da dor e do inchaço na barriga, o paciente pode ter vômito e dificuldade em mexer a perna direita. A febre baixa e a dor de estômago também podem aparecer, variando de pessoa para pessoa.

     

    >>Apendicite: alerta para ir ao Pronto Atendimento


    Dor abdominal, pontual do lado direito e na parte baixa do abdômen, na altura do umbigo.

    Dor contínua e localizada, fraca no início e que vai aumentando de intensidade.

    A QUALQUER SINTOMA ABDOMINAL DIFERENTE, PROCURE O PRONTO ATENDIMENTO IMEDIATAMENTE!

     

    >>Outros sinais da apendicite


    Colapso do aparelho digestivo e o intestino para de funcionar

    Enrijecimento e inchaço do abdômen

    Náuseas, vômitos e certa apatia

    Prisão de ventre ou diarreia

    Febre

    Por que ir ao Pronto Atendimento?


    “Os pacientes têm que ser alertados a não ficar em casa sentindo dores que, se não fosse a pandemia do coronavírus, as levariam ao hospital”, alerta Terezinha Valéria Matoso.

     É importante que, assim que comecem sintomas desconhecidos, o paciente procure Pronto Atendimento, de forma a tratar precocemente qualquer patologia que possa ser cirúrgica. Assim, evita as complicações, que podem ser até mesmo fatais.

    Riscos da apendicite supurada


    A apendicite supurativa é a complicação do quadro, com perfuração do órgão. Quando o apêndice perfura, podem cair fezes e secreção na cavidade abdominal. “Esse processo pode ficar localizado no canto inferior direito do abdome ou, em quadros ainda mais graves, disseminar a infecção por todo o abdome. Pode chegar a uma peritonite generalizada”, afirma o cirurgião geral Perez Aguiar. Peritonite generalizada é a inflamação do peritônio, membrana que reveste a cavidade abdominal.

    Perez Aguiar alerta para o risco do retardo do diagnóstico, sobretudo, no período da pandemia da COVID-19. Esse cenário, consequentemente, está levando as pessoas a evitarem o acesso aos hospitais, em alguns casos. “Nós estamos tendo contato com pacientes com apendicites muito mais graves, pelo medo deles de ir ao Pronto Atendimento. O paciente tem medo de pegar o coronavírus. A orientação é que podem ir com tranquilidade porque estamos preparados”, conta.

    O Hospital Lifecenter está atendendo com um fluxo separado de pessoas com e sem a COVID-19. Todas as medidas sanitárias e de higienização estão sendo tomadas para o melhor atendimento hospitalar. Pacientes com quadros respiratórios estão sendo atendidos em andares diferentes dos pacientes com outros tipos de sintomas e doenças.

    Tratamentos da apendicite


    O tratamento da apendicite é cirúrgico. Na maioria das vezes a operação é feita por laparoscopia e o paciente fica pouco tempo no hospital. “Nesse caso, o paciente tem uma chance mínima de complicação do quadro. Já o paciente com apendicite supurada ou perfurada vai usar antibiótico por tempo prolongado e a chance de haver um abcesso é maior. Isso considerando o tempo maior em que ele esteve com o apêndice perfurado”, explica Terezinha Valéria Matoso.

     

    >>Videolaparoscopia


    O paciente é submetido à anestesia geral. É insuflado gás no abdome e, por meio de orifícios, posicionadas duas pinças e uma pequena câmera que filma o interior. O cirurgião opera com apoio do monitor. Essa modalidade de cirurgia apresenta menores incisões, melhor resultado estético e um retorno às atividades diárias breve.

     

    >>Cirurgia convencional (aberta)


    Pode ser realizada com pequenas incisões no canto inferior direito do abdome. O anestesiologista vai individualizar o tipo de anestesia para cada paciente, que poderá ser raquianestesia, peridural ou ainda anestesia geral.

    Função e anatomia do apêndice


    O apêndice cecal, como é chamado, é um pequeno órgão de 5cm a 10cm de comprimento. Tem um formato cilíndrico e se comunica com a primeira porção do intestino grosso.

    Sua função é controversa. É uma das defesas do organismo contra infecções, também tem uma função residual. No passado, nossos ancestrais tinham o apêndice como um facilitador no processo de digestão dos alimentos.

     

    Gostou deste artigo? Compartilhe em suas redes sociais e deixe seu comentário!
    Este post possui 0 comentários.

    Deixe um Comentário